terça-feira, 29 de outubro de 2013


Queridos, vou começar com uma dica para quem gosta de caminhar e entende inglês ou espanhol: faça um Free Tour. É a ideia mais sensacional do mundo. Especialmente se o tempo reservado para a cidade escolhida é curto e/ou a cidade é desconhecida por todos os que estão viajando. Este era exatamente o nosso caso. Duas amigas e eu fomos pela primeira vez para Budapeste. Ficamos 2 dias/1 noite. Andamos muito, vimos todos os pontos turísticos e saímos todas apaixonadas por Budapeste! Eu tenho para mim que sem o Free Tour, nós não teríamos aproveitado tanto a cidade. Por isso eu indico demais! Como funciona: dois horários de saída por dia (um pela manhã e outro no início da tarde), ponto de encontro pré-determinado (em Budapeste é em uma praça central) e 3h30min de caminhada leve. Várias paradas estratégicas para contar um pouco sobre a história e curiosidades do país e quando a guia fala que está a caminho do último ponto, você pensa: "oi? Não eram 3h30min?" e checa o relógio correndo para ver se foi o combinado mesmo. Passa vo-an-do! Isso porque não falei o melhor de tudo: é gratuito! No final, a guia espera uma doação de cada pessoa, o que é mais do que justo, né não? Para vocês não ficarem perdidos, algo em torno (a partir) de 5 a 7 euros por pessoa está tranquilo. O site do Free Tour que a gente fez é este aqui! Não precisa agendar horário nem nada não, viu, gente? O site é só para vocês saberem o horário e lugar combinados.

Não vai para Budapeste, mas vai para Amsterdam, Barcelona, Berlim, Bruxelas, Copenhagen, Dublin, Edimburgo, Hamburgo, Lisboa, Liverpool, Londres, Jerusalem, Madrid, Munique, NY, Paris, Praga ou Tel Aviv? Tem Free Tour também! O site é outro, embora funcione da mesma forma do tour que descrevi acima. É este aqui!



A moeda da Hungria não é euro e sim, Florim Húngaro(HUF). É aqui que começa a segunda dica: Não troque dinheiro nas casas de câmbio que ficam dentro da estação de trem. O valor é muito mais alto do que nas casas de câmbio dentro da cidade! Caso você chegue em Budapeste sem nenhum tostão em Florim Húngaro, troque apenas 5 euros na estação (mais do que o suficiente para pegar o metrô até o seu hotel) e aí sim você pode procurar alguma casa de câmbio para trocar o resto - em cada esquina tem duzentas. Posso emendar a terceira dica? Troque de pouquinho em pouquinho. No início queríamos trocar 50 euros. Pensamos melhor e decidimos trocar 25 euros. Caso fosse necessário, trocaríamos mais. Se você for ficar 2 dias em Budapeste e trocar 50 euros logo no início, você vai se obrigar a viver 2 dias como rei só para não voltar com Florim para casa (isso sem contar a hospedagem). Claro que depende do seu estilo de viagem, mas trocando pouco no início, você vai sentir melhor como tudo funciona (imagine você parando para almoçar e, ao pedir a conta, você vê que deu 3000 HUF por pessoa. Antes de converter o valor para Euro ou Real, você já teve um mini-ataque cardíaco, estou certa? Por isso é importante sentir a cidade).



O mais comum entre os turistas é fazer um trajeto envolvendo Viena, Budapeste, Praga e, às vezes, Bratislava. Se o seu trecho escolhido é Viena-Budapeste, tenho dica de passagem para você. Quarta dica (como chegar): comprei meu ticket Viena-Budapeste na hora. É praticamente impossível você não conseguir o horário que você quer nesse trecho, especialmente em dia de semana. A cada 1 ou 2 horas sai um trem da estação Wien Meidling ou Westbahnhof em direção a Budapeste. Se você não tem psicológico para comprar na hora, compre adiantado pelo site da ÖBB (em inglês). Importante: cada trecho custa algo em torno de €36 e o tempo de viagem é de 2h30min mais ou menos (partindo de Viena).




Uma curiosidade: vocês sabiam que húngaro é uma das 5 línguas mais difíceis do mundo? A guia contou que talvez seja por isso que todo filme que tem E.T, eles conversam em húngaro! kkkkkk





Última dica: a primeira impressão (ao redor da estação de trem) não é das melhores. Deixe o coração livre para receber a verdadeira Budapeste.



Está aí uma cidade que conquistou nós três! Amamos demais!

P.S.: nós nos hospedamos no Regency Hotel. A localização é maravilhosa (só usamos metrô para ir e voltar da estação. O resto, fizemos tudo a pé!), o café da manhã é ótimo também e o único defeito é a internet (funciona nem com reza braba).

Crédito das fotos: amoreca Ana

Beijos e uma ótima semana, queridos!

9 comentários até agora

  1. Amoreca!!! O post ficou completíssimo! Certeza que vai ajudar muita gente! Adorei a frase: deixe o coração livre pra receber Budapeste! Na verdade, é bem isso mesmo...
    Adorei nossa foto juntas e bateu uma saudadeeeeee!
    Um super beijo bem caloroso daqui no nordeste!
    Saudade de tu corralinda do meu abuso!
    Ana


    Responder comentário

  2. @thisgermanlife.com Tomara que ajude muita gente mesmo, amoreca! :D
    Uma amigona minha disse que teve que observar bem a foto para ver quem era eu e quem era vc. Até pq estamos com roupas parecidas. kkkkkk Percebi nossa roupa só depois que ela falou (hoje), acredita? kkkkkkkk
    Beijao e saudade muita!

  3. Jurei que a Ana fosse você! ahahhahaha! gente, idênticas! quero budapeste! quero ir já! =***

    Responder comentário

  4. Oi Letícia!
    Eu estava sentindo falta das suas postagens, que bom que voltou com mais um post legal. Essa sobre o húngaro foi novidade prá mim. Vivendo e aprendendo ...
    bjs

    Responder comentário

  5. Próxima vez que vc vier, a gente vai para lá! Adorei demais!

  6. Ai, Lana! Estou em falta com o blog mesmo... Estou muito sem tempo, mas me esforço para ter no mínimo um post por semana. Largar o Scho Schee eu não vou! :))
    Essa do húngaro é muito bacana, né?
    Grande beijo!

  7. Anônimo diz:

    Parabens pelo blog,achei didático.Viajarei em Abril e tenho certeza que suas dicas me ajudarão muito.Obg. Regina Adelia

    Responder comentário

Comente!